Após confirmada sua contratação, seu perfil passa por um período de standby, onde você fica invisível na plataforma e não recebe novos convites durante seu primeiro ano de contratação.

A GeekHunter preza em fornecer uma experiência excelente tanto para as pessoas candidatas quanto para as empresas inscritas na plataforma. Sendo assim, optamos por não permitir a livre concorrência por pessoas recém-contratadas, uma vez que essa atitude prejudica nossas pessoas candidatas e empresas.


Como a livre concorrência prejudica pessoas candidatas?

Quando você troca de emprego sempre que surge uma proposta diferente, seu histórico profissional é preenchido com experiências intermitentes. Quando isso acontece, as novas empresas que visualizam seu perfil começam a questionar este comportamento e, muitas vezes, acabam não enviando convites por receio de que esse padrão se repita.
Outro ponto prejudicado é a continuidade e linearidade do avanço das suas habilidades profissionais. Quando você muda de projeto com grande frequência, pode enfrentar muitas situações redundantes ou de retrabalho, que acabam não agregando novas habilidades e competências.


Como a livre concorrência prejudica as empresas?


As empresas cadastradas na plataforma da GeekHunter investem tempo e recursos ao aperfeiçoar seus processos seletivos e selecionando uma pessoa candidata com as experiências adequadas e um fit cultural. Após a contratação, ainda existe todo o processo de documentação, bem como investimentos em treinamento e capacitação. Sendo assim, a perda da pessoa contratada nos primeiros meses de trabalho se converte em um prejuízo imenso para a empresa.


A GeekHunter entende a visão das pessoas que preferem a livre concorrência, mas opta por esse modelo com o tempo de espera de um ano, que nutre o relacionamento entre pessoa candidata e empresa e melhora a experiência de ambas.